“A minha mãe faleceu quando eu tinha de 13 para 14 anos. No enterro, cheguei perto do caixão e prometi a ela que um dia eu vestiria a camisa de um grande clube, e me tornaria jogador profissional”. Veja mais em: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/11/21/jovem-do-cruzeiro-luta-para-realizar-promessa-feita-apos-a-morte-da-mae.htm